Eu queria ter-me lembrado

Quem se importa contigo sempre vai estar pronto para ti. Ponto. Sem interrogações, vírgulas ou reticências.

Não existe essa de "queria ter-me lembrado", "queria ter feito", "queria ter podido". Se tu te importas, tu lembras-te, tu fazes e tu podes, mesmo que não estejas fisicamente presente, geograficamente próximo ou emocionalmente disponível.

“Tu és muito importante para mim” não significa absolutamente nada se é só mais uma frase falada ou digitada para cumprir protocolo.

Verbalizar só faz sentido quando acompanhado da acção. É simples. Eu sei e tu sabes quando alguém realmente se importa. Não existe mistério. Não existe desculpa. E não existe palavra ou frase pronta capaz de provar o contrário.

Olha para dentro de ti mesmo e pergunta-te, com honestidade, como é que tu tens vindo a tratar as pessoas que mais te amam e se importam contigo. Porque egoísmo é uma coisa que a gente abomina nos outros, mas cultiva com tanto zelo dentro de nós que cresce feito erva-daninha e chega a tapar os nossos olhos. Cega. É fácil demais julgar alguém. “Fulano fez isto e aquilo”. “Fulano podia ter feito isso e aquilo”. “Fulano não devia ter feito isso e aquilo”. Mas, e tu? O que fizeste tu? O que tens feito?

Não fiques a inventar desculpas para os outros e para ti mesmo. O que importa de facto, tu sabes, nunca precisou de explicação.

Ana Paula Ramos

também poderás gostar...