Apenas uma decisão

Tudo o que eu queria neste exato momento era ser capaz de tomar uma decisão. Uma simples e única decisão. Era só eu dizer "é isto que eu vou fazer" e ponto final, meter a cara, pagar para ver.  Mas não, eu não sou assim, eu não consigo ser assim, não neste momento pelo menos.

É que ultimamente, quase sempre antes de tomar uma decisão, qualquer decisão, eu tenho sentido uma necessidade sobrenatural de avaliar os prós e os contras. Eu simplesmente não sei mais optar entre este ou aquele caminho sem antes avaliar pelo menos umas 80 vezes o que eu vou ganhar e ou o que eu vou perder se eu decidir por isto ou aquilo - ou se por acaso eu não decidir nada, deixar como está. E cá entre nós, há muito tempo, involuntariamente, eu notei que tenho vindo a escolher sempre a última opção. Eu deixo como está, eu escolho não fazer nada.

Talvez por medo ou por comodismo, não sei, só sei que na ânsia por decidir alguma coisa, qualquer coisa, eu tenho decidido sempre por não decidir nada - e isso obviamente tem-me tirado o sono nos últimos tempos.
Há muito tempo eu não começo nada novo, há tempos que eu não sinto nada novo. Vivo cansada desta rotina que a cada dia parece que me consome mais por dentro.

Eu já nem sei quais são meus sonhos. Eu já nem sei se ainda tenho sonhos. Tudo para mim é indecisão e só.

Autor desconhecido

também poderás gostar...