As estrelas estão a cuidar de mim, mãe

Está de noite.

A imagem que eu tenho é que a vida é noite. A noite é o estado do pensamento da reflexão do dia. Sem a noite não existia o dia.

Não existia no céu o tom carvão azulado e a brisa gelada a rasgar a pele. Não existia os arrepios que percorrem a nuca.

Não estou sozinha, ao fundo do corredor oiço música comercial que parece-me uma balada lenta e profunda. Esta música não é nova na minha mente. Ao lado do corredor oiço o som de uma alma que recorda a infância, aquele maravilhoso chapinhar de água na banheira. Há uma voz sussurrante que fala ao telemóvel com este ser e é esta voz que ecoa na minha direção. A voz de alguém poderoso.

Parece-me que está a narrar o seu dia, como custou a passar, como foi um dia suado. Mas, no fundo essa voz não diz o que quer dizer, o que a alma está a implorar para dizer. Eu própria consigo ouvir melhor a voz da alma do que a voz da razão. Só precisas de soltar estas palavras do peito: “ Fazes-me falta. Falta de dia e de noite. Preciso de ti ao meu lado. Ao lado da minha alma e do meu corpo. Diz que me amas hoje e sempre.”

Estas palavras são as palavras que estão presas dentro daquele corpo que está a meditar na banheira.

Aquele corpo que tem como suporte uma mente cheia de preocupações. Preocupa-se com todos, às vezes só falta a sua preocupação própria. Aquele ser que já me conheceu, já me teve e ao meu corpo. Já me teve mais do que eu própria algum dia vou ter. Nunca me terei por inteira como tu me tiveste outrora. Tiveste o melhor de mim, tiveste-me sem danos, sem pedaços partidos, sem medo, sem amor e sem ódio.

Acho que o que quero dizer é que me tiveste no nada e esse nada que era o meu tudo. Eu perdi esse tudo quando deixaste de me ter e transportaste-me para este mundo feito do desconhecido. Não sei se foi Deus se foi a teoria do Big Bang. Mas para mim foi e sempre será a noite. Antes de nascer, a vida para mim era a noite e quando abri os olhos pela primeira vez, revivi e vivi o dia.

Eu acredito na noite. Na explosão da noite, das estrelas, elas são o símbolo dos sonhos de todos os seres.

As portadas estão abertas. Vejo o meu reflexo no espelho. Quem é aquela que está no espelho? Sou eu ou será o outro eu?

Espero que seja um novo ser do lado de fora da janela, o ser que vive na noite, mora na lua e dorme acompanhado de estrelas que iluminam os meus sonhos.

Daniela Costa

também poderás gostar...