Apenas saudades escondida pelo medo


Sabes aquela puxadinha na cintura levada para um beijo leve? Aquela respiração tranquila bem perto do ouvido que te faz fechar os olhos, morder os lábios e arrepiar? Aquela sensação, calor suave que te sobe, espalha pelo corpo sem saber por onde vem? Aquele toque dessas mãos que te faz mover o corpo? Hummm sensação única e maravilhosa.

E quando decides apimentar? Tem graça, vendas-me os olhos de seguida um beijo com mordida, com carícias na fase passando para o pescoço. Um cubo de gelo untado com os teus lábios percorrendo o corpo, tuas mãos deslizando e dominando. Um momento só nosso. Mas isto não é tudo.

Mas quando esse tudo termina, resta tudo menos tu. Resta as lembranças ou mesmo nada. Como se tivesse de começar de novo, como se fosse a primeira a vez  gatinhar, andar, aprender a ler.

A saudade volta sempre quando nunca foi embora aquele que está dentro de ti. E o medo? Ele que poderá travar o sorriso...

Vera Oliveira

também poderás gostar...