A mulher que sou!


Não sou mulher perfeita, tenho defeitos e muitos, posso ser a mulher que queres e a mulher que não queres, nada depende de mim. Eu mudei, mudei porque a vida me fez assim. Posso até ser a mulher simpática, amorosa e amiga, mas sou muitas vezes também  a mulher chata, rancorosa e mística. Sou mesmo a mulher que sou e não me arrependo de nada de lá chegar e  do que tudo me tornou. No fundo eu cresci, amadureci, enfrentei a realidade e  vivi.

Amei pessoas que não deveria amar, umas não me deram o devido valor e assim deixei estar. Só fiz o que o meu coração mandou!  Tive de acordar, tive de viver, tive de assumir as minhas responsabilidades, tive de realizar todas as minhas vontades e tive de sonhar para chegar até à mulher que sou.

Se calhar não sou o que muitos estão a esperar que seja, mas também que assim o seja! As melhores e claras decisões só partem de mim, e eu não gosto de mentiras, odeio que se metam sempre pela minha vida, sou mulher realmente perdida, porém que sabe o que realmente quer, nem que seja sozinha.

Não tenho medo de caminhar pelas árvores, não tenho qualquer medo de fazer e refazer a minha vida, apenas às vezes sinto-me a rapariga perdida, que vive sempre uma memória continua e esquecida. Sinto que não tenho muito tempo, para esperar por algo que me faz realmente acreditar, sinto que o que levo daqui é nada, apenas os meus pensamentos, e principalmente, sinto que depois de muitos anos nesta estrada, se é aqui que quero ficar.

Foram só pedras jogadas pelo caminho. E eu me tornei a mulher com pouca história para contar, com poucas anedotas para falar,  e com poucas conversas idiotas para acreditar.  Eu só tenho a mim, sou como sou e o que os outros querem ver, mesmo tentando suportar cada dia que passa sem nunca esquecer a desgraça, de ser a rapariga que muitos ainda não viram a realmente a crescer.

Mas eu vou continuar, juro por Deus , amanhã  vou tentar ser alguém melhor.  Existem feridas que nunca cicatrizarão, os vazios  que nunca serão supridos, mas os sentimentos serão sem dúvida o que há de chegar do meu coração. Sou essa pessoa que sou e por esse sentimento em vão ,  eu continuo sempre a ter de muitos uma grande opilação.

Não sou escritora, não sou poeta ou qualquer coisa sem fim . Não sou nada. Sou a mulher que sou e apenas tenho ideias. Se elas escorrem pelo seu pensamento depois que saírem de mim. Decida, o que fará com elas, se forem sempre assim. Eu cá serei a mulher que sou!

“Sou o que sou não sou nada do que eu mesma *–*”

também poderás gostar...