Almas gémeas? Existem sim.


Um dia perguntaste-me se acreditava em almas gémeas, sei que te respondi mas sinceramente não valorizei a tua questão. Hoje fazem meses que esse dia existiu, que essa pergunta fez sentido na tua mente, que eu estava presente. Hoje vejo o que tu há muito tiveste noção. Hoje reconheço com toda a razão.
Existem sim, acredito sim, conheci(-te) sim.

Ao longo de uns quantos anos foste tu, não sempre mas praticamente sempre. Umas quantas oportunidades perdidas seguidas de mais umas incontroláveis despedidas, incontáveis idas e voltas e lá estavas tu. Na forma mais pura do amor. O mesmo que me fazia ir, fazia voltar. O mesmo que te fazia ficar e me aceitar sempre de braços abertos. Os mesmos braços para os quais eu corria. Os únicos onde eu me perdia, o mundo desaparecia. Os teus abraços faziam-me sorrir, mesmo chorando como um bebé, era em ti que eu existia.

Eras tudo, eu era-te tudo. Porquê? Porque é que sempre foste a pessoa certa, na altura errada e na altura mais que adequada e mesmo assim, mesmo esperando tantos anos, mesmo crescendo tanto, mesmo amando tanto. Porquê? Quando eras tu de quem eu sentia falta, saudade, carinho, tudo? Porque é que mesmo correndo para ti, mesmo sendo a minha casa, a minha pessoa, a minha paz eu nunca consegui ficar na totalidade? Porque me deste o teu, o nosso e todo o mundo e eu não tive forças para o segurar? (Porque não tinha que ser).

No mesmo dia em que me perguntaste, através de um papel, se acreditava em almas gémeas, afirmaste que na maioria dos casos elas não ficam juntas mas, mais uma vez, não atribui o devido significado ao que estava a ler. Sim, lembras-te daquela carta? E mais uma vez tu já tinhas antecipado tudo.
Existem sim, acredito sim, és sim!

Eu deixei-te ir, mais uma vez. A última vez. Algo que já estavas habituada. Deixei-te partir partindo eu como se nada fosse, como se nada fôssemos e não sabes tu que és mais do que uma parte de mim. És uma força da natureza, és um pilar na minha vida mesmo que penses não fazer  parte dela. (Será que ainda pensas?) Nunca conheci ninguém tão forte quanto tu, tens noção disso?

Hoje escrevo-te com um atraso tão grande quanto o carinho que te guardo. O alívio que é saber que estas bem, que guardas os bons momentos e que não me tens como uma pedra bem pesada. Como um esqueleto no armário. Como um passado destrutivo. Hoje escrevo-te para te louvar. Para te agradecer.
Não tinha que ser, e o bom que é ter vivido tanto contigo e ainda assim sorrir. Sorrir por te ver sorrir. Sorrir porque lá estas tu, com a mão estendida a quem te magoou tanto. Sorrir perante a tua grandeza, a tua humildade, o teu positivismo que depositas no que acreditas.
Existem sim, acredito sim, és sim!

Disseste-me com lágrimas dos olhos que só irias ficar bem quando eu estivesse bem. Que me desejavas o melhor, que eu fosse feliz. Abraçaste-me, fechaste a porta do carro e foste embora com mil e um sentimentos que na altura te arrasaram por completo. Ainda assim era eu quem te preocupava. Como tu és uma linda mulher! Passaram-se meses e eu não encontrava o meu caminho por muito bem que aparentasse estar. Tu estavas claramente um caco e eu, eu sorria, saia, divertia-me, vivia.. fui fingindo como tão bem sei, fui aguentando como ninguém. E como ninguém me conheces tu. Um dia não deu mais. Todas estas perguntas me perseguiam dias a fio. E nada que eu fizesse me fazia ultrapassar o facto de sermos as pessoas certas e eu não conseguir dar mais! Seguiste a tua vida e tão feliz que estou por o teres feito. E eu continuava com o mesmo pensamento. Procurei ajuda. Como é que eu posso gostar tanto de alguém e não conseguir?! Nem todos os amores são para ser partilhados na mesma casa, na mesma cama. Nem todos os amores tem a mesma forma. Nem todas as pessoas se juntam, se casam, se consomem, acredito eu só agora.

Seguiste a tua vida, e tão bem que o fizeste. Tenho um enorme orgulho em ti, sabias miúda? Hoje também eu segui a minha, também eu estou, como tu um dia desejaste que estivesse, realmente bem. Consegui deixar alguém entrar e perceber-me, ajudar-me a lidar com tudo isto, com a minha mente, com o meu coração que tanto de ti tem. Hoje temos pessoas ao nosso lado que certamente nos preenchem. Não tinha que ser, não tínhamos que forçar. Hoje encontramos quem nos preencha e somos felizes assim. Hoje podemos estar onde sempre estivemos, mas de uma forma saudável. Fazes tanto sentido que fico honestamente feliz por não te ter perdido.

Almas gémeas? Existem sim. És sim, somos sim.

Joana Rita

também poderás gostar...