Não deu porquê?


Dou por mim a perguntar-me, muitas vezes até: o que foi que fiz de errado? Onde foi que fiz merda? Porque é que não deu se tinha tudo para dar certo?

A resposta é bem fácil e está bem debaixo dos nossos olhos.

Não tinha que ser! Simples. Eu acredito profundamente que tudo acontece por uma razão e não só porque sim. Só porque lhe apetece. É o destino. E o destino queria que acabasse-mos.

E porque? Talvez por não seres “o tal”. Talvez por não nos amarmos como achávamos. Talvez não estivéssemos destinados. Ou simplesmente foi mais uma maneira de eu aprender com os meus erros. E tu com os teus.

Erros esses, que já não os devia de cometer. Como ser mais matura e menos emotiva e controlar o que sinto em vez de explodir em euforia (estou a falar desde o ciúme à alegria extrema, passando pela tristeza profunda e pelo desespero)

E depois penso: “Doeu tanto na altura e agora não sinto rigorosamente nada.” “Chorei tanto, gritei tão alto e agora só quero sorrir.” E porque?

Simples: fechei o meu coração para ti. Tranquei-o a 7 chaves e construí um muro de gelo. E tudo para que? Para me livrar daquela horrível dor pela qual tive que passar, tanto para aprender, como para te esquecer. Dor essa que foi levada com o tempo.

Mas sabes? Ainda bem que não deu, porque caso contrário talvez não me voltaria a apaixonar, nem estaria aqui agora a escrever aquilo que sinto. Por isso, obrigada. Obrigada por não ter resultado. Obrigada por me teres tornado naquilo que sou hoje. E por me teres feito evoluir. Obrigada por me dares a oportunidade de ser feliz sem ti.

E foi por isto que não deu.

Ana Santos

também poderás gostar...