Difícil não é amar, é permitir-se ser feliz


Difícil não é amar, é o conformismo que tanto se fala que atua como um sismo. Tudo abana, tudo abala.

As pessoas amam nem que seja em silêncio pois o que temem é a mudança e sem vontade vivem na insegurança, no medo. Não procuram a felicidade, habituam-se ao apego. Conformistas! - grito em segredo. Seguir o que é fácil, lei da vida. Evitam confusões, contentam-se com ilusões, o que me deixa um tanto ou quanto constrangida. Acanham-se ficam apáticas. Sem exagerar por vezes parecem-me sádicas.

Acostumam-se ao quotidiano, e também à dor proveniente desse faz de conta mediano que vai chegando, vai dando... Um encolher de ombros que camufla os escombros da alma.

Difícil não é sentir, não é saber o que mudar, o que é melhor nem o que fazer para alcançar o algo que lhes falta ou realiza. É a atitude, a força que tanto se precisa. É o tal passo que de tanto se evitar começa a criar raiz. É deixar viver o amor e reconhecer o seu próprio valor.

Difícil não é amar, é permitir-se ser feliz.

Joana Rita

também poderás gostar...