Entras nesta valsa comigo?

Que tal se o momento da valsa fosse somente nosso?
Que as palmas seriam o batimento de dois orgãos unidos por um único sentimento.
E se a musica do momento fosse a respiração ou mesmo a tua voz?
E se o brilho do momento fosse os nossos olhares?
E se o meu teto estiver de baixo desse teu véu, em teus lábios e podermos neles juntos habitar?
E os papéis onde assinamos é a entrega de ambos, o nosso corpo, em que tuas estrias serão poemas nas minhas mãos.
E as alianças? Hummm, pode ser as nossas mãos entrelaçadas?
Bem, esses sapatos devem cansar e magoar, que tal se tua segurança for os meus braços, ombros ou mesmo aquele momento em que te pego ao colo e te leve comigo?
As nossas fotografias? Momentos guardados em pensamentos e mais tarde recordar...
E que tal deixarmos de sonhar, deixarmos as perguntas e obter respostas e realizarmos?
Casavas-te comigo todos os dias?

Vera Oliveira

também poderás gostar...