Tiraste tanto...


Era para me dizeres que eu era a pessoa mais importante da tua vida, mas em vez disso só soubeste dizer que tirava muito de ti. Tu disseste que querias liberdade e que querias estar sozinho. Que ironia!!

Dizias que querias liberdade, mas agora és tu que estás aprisionado.
Dizias que querias estar sozinho, mas agora és tu que estás com outra.
No final de tudo sabes o que percebi?! Que quem tirava muito de mim eras tu.
Tiraste tanto de mim e eu nem me apercebi.
Tiraste tanto de mim e só agora eu percebo o que deixei de fazer por ti.
Tiraste tanto de mim e eu deixava… por ti, por nós!
De tanto lutar por ti e por nós, amei-te mais a ti do que a mim própria. Isso sim, foi o maior pedaço que tiraste de mim. E novamente… porque te amava, eu permiti.
Talvez tenha sido esse o maior erro que cometi, perder o amor-próprio por ti. Mas prometi a mim mesma que não deixava isso voltar a acontecer.
Mas tu não sabes… Não sabes o tamanho da dor que causaste em mim. Dizias que estavas lá quando precisava, mas fui em que fiquei como uma criança a brincar com um puzzle e a colar todos os pedacinhos que quebraste.
Recusava a morrer por dentro por tua causa. Por isso, todos os dias enxugava as lágrimas, levantava e sorria. Obriguei-me a mim mesma a fazer isso todos os dias e a olhar para o lado bonito à minha volta que até então não conseguia ver.

E….
Dia após dia… as lágrimas foram secando.
Dia após dia… o sorriso tornava-se cada vez mais presente na minha vida.
Dia após dia… ia reconstruindo o que destruíste.
Dia após dia… ia reconstruindo o que permiti que tirasses de mim.
E irei-me levantar quantas vezes forem precisas.
Mas sabes o que descobri com isto? Há pessoas que nos destroem sem perceber, mas também há pessoas que nos constroem sem perceber. Chegam sem pedirmos e mudam a perspetiva da nossa vida, simplesmente sem pedirmos!

B.B.

também poderás gostar...