Tenho saudades tuas... e agora?

Dizem que "o primeiro amor nunca se esquece", e eu nunca acreditei nisso.
Desde criança que achava que o amor não passava apenas de uma mera palavra...até te conhecer.
Conhecer-te foi a pior e a melhor coisa que me aconteceu na vida.
A melhor, porque me ensinaste a dar vida à palavra "amor" e a saber amar. E a pior, porque conseguiste destruir esse sentimento tão bom e fazer-me voltar a achar que o amor não existe...

Ensinaste-me também o que realmente significava o "8 ou 80".
Quando me tratavas bem era bem demais, às vezes parecia um sonho. Quando me tratavas mal, era mal demais. Conseguias fazer-me sentir a melhor e a pior pessoa do mundo.
Mesmo assim, há dias que dou por mim a ver as nossas fotos, a ler as nossas conversas, a relembrar os planos todos que tínhamos feito para o futuro e a desejar ter-te aqui novamente.
Fico a pensar no teu sorriso, quando chegavas a casa e me vias sentada no sofá, enrolada à minha manta, à espera que chegasses. Ainda hoje me lembro da hora que costumavas chegar e fico sempre a olhar à espera que entres por aquela porta novamente e me dês aquele beijo e aquele abraço que só tu sabes dar.
E as tuas longas pestanas? Ah, como eu as amava... mesmo com essa cara de reguila elas conseguiam tornar-te fofinho.

Tenho saudades também das tuas simples surpresas, mas que davam imensa cor ao meu dia. Dizeres que ias chegar mais tarde a casa e eu de seguida ouvir a campainha e eras tu que tinhas vindo mais cedo. Fazeres desenhos ou textos enquanto estavas a estagiar e na escola para depois chegares a casa e me dares, para muita gente isso é infantil, mas para mim era algo tão simples e que valia muito, pois só queria dizer que durante o tempo que os fazias estavas a pensar em mim. Era algo tão nosso.. .desde os 14 anos que tínhamos o hábito de fazer esses miminhos no dia-a-dia um para o outro.

Lembras-te da comida que fazias para mim? De quantas vezes fizeste crepes para comermos até sair aquele perfeitinho como querias.. ahah
De mesmo quando não estava ao pé de ti, tu me mandares fotografias da comida que tinhas feito? E as tuas maluquices de me mandares fotografias tuas sem qualquer motivo a fazer caretas, a mandar beijinhos, a fazer beicinho..? De partilharmos um com o outro TUDO o que acontecia no nosso dia-a-dia? Tu eras sem dúvida o meu melhor amigo, o meu confidente.

Mas e agora? Agora és o confidente de outra mulher, é ela o motivo desse sorriso lindo que um dia já foi meu, é ela o "brilho dos teus olhos", é ela quem se conforta nos teus braços e beija os teus lábios. E eu? Eu apenas fico aqui, todos os dias a tentar usar tudo isso para conseguir finalmente seguir em frente, mas as memórias não deixam. Passou 1 ano e continuo sem ninguém, pura e simplesmente não consigo ultrapassar-te.

Como conseguiste esquecer tudo o que passamos? Queria que me ensinasses como seguir em frente, como curar esta ferida que teima em continuar aberta.
Mas tu nem comigo queres falar, ganhaste rancor de alguém que sempre te fez bem e eu não consigo ganhar rancor de alguém que me fez tão mal.
Quero esquecer-te, mas o coração não deixa.

Sara Macedo

também poderás gostar...