Hoje sou EU outra vez!

Eu temia o momento em que me irias dizer que estavas com outra. Temia o fim oficial da minha esperança por ti. Hoje o ponto final chegou e eu não podia estar mais aliviada. Não por tu teres seguido em frente mas, sim, porque finalmente percebi que as tuas aproximações não foram mais do que jogos mentais que não respeitaram os limites que te pedi, vezes sem conta, para teres. E eu cansei-me de falar e de pedir, por isso  ignorei. É engraçado como podemos ser tão burros para o que queremos. Parva fui eu! Não, por ter estado para ti depois de terminarmos, mesmo nas coisas mais pequenas, mas sim, por ter acreditado que estarias para mim. Sei que pensas que sim, mas aqui tens uma novidade: não estiveste! A mim não me interessa a tua amizade de conveniência, essa amizade de fazer companhia, ouvir porque sim, ou “dizer as verdades” quando simplesmente apontas aquilo que já não sou para ti, e de que não gostas, ou seja, a minha pouca paciência para te ouvir. De nada me servem as tuas palavras e elogios quando as tuas ações nem a miníma preocupação ou valor mostram por mim. Hoje já não confio nas tuas palavras.

Isto não significa que deixe esta amizade porque na realidade nunca te abandonei, apesar da dor que me causaste. Não faz parte do meu feitio fazer o que não gosto que me façam. Eu estou resolvida e, na realidade tenho mais que fazer que brincar a estes jogos do “fica bem dizer ou fazer”.

Não gostaste que parecesse indiferente ao facto de estares com outra pessoa. Entende uma coisa: o facto de não chorar não significa que estou indiferente, simplesmente não choro mais por ti! Sabes porque? Porque eu sei dar-me valor, coisa que tu neste momento não sabes ou, então, nunca soubeste.

Sei que agora vais poder dar tudo o que queres de forma igualmente reciproca. Sei isso, porque ela nunca te vai dar mais do que tu dás. Assim, estão em plena harmonia e, por isso, estou genuinamente contente por ti. Eu sei que existe alguém me dê mais do que imaginei dar. Eu mereço mais do que o que tu me deste e, tu sabes isso muito bem.

Hoje cheguei a um ponto final e sinto-me aliviada e feliz! Fui corajosa o suficiente para aprender a gostar mais de mim do que de ti. Hoje estou ciente do que sou, do que tenho para oferecer e do que mereço receber. Só tenho a agradecer-te por tudo que me deste e por estares com alguém agora. Obrigada por me deixares ser eu outra vez!

Catarina Fialho

também poderás gostar...

Hoje apeteces-me