Hoje sonhei contigo

Hoje sonhei contigo… Estava numa sala, filas de cadeiras pretas almofadadas iam sendo ocupadas aos poucos. Ou já seria o fim do acontecimento que estava a ter lugar naquele espaço, e a sala ia ficando vazia? A maior parte das pessoas estava de pé. Em pequenos grupos diferentes conversas se desenrolavam, e eu fazia parte de um desses grupos entre as várias filas de cadeiras dispostas em semi-círculo. Não me lembro com quem estava ou sobre o que estava a falar, mas o mais provável era eu estar calada e atenta, simplesmente a ouvir.

Senti alguém a tocar-me no ombro. Não olhei logo para trás, ainda fiquei a ouvir o final de uma frase ou ideia, quem sabe? Quando olhei ali estavas tu, uma fila de cadeiras completamente vazia a separar-nos, mas tu sorrias. Aquele sorriso que eu ja não via há anos, apenas recordava com saudade. Um sorriso genuíno, com a sua covinha, lindo, que se estendia ao olhar. Por momentos fiquei sem reação. Passado tanto tempo a perguntar-me porquê, a tentar perceber o que aconteceu, a última coisa que eu esperava era ver-te mais uma vez e com aquele sorriso na cara.

 Afastei as cadeiras até chegar até ti, e assim que ficámos frente a frente abraçaste -me. Tão poucos segundos, segundos que me pareciam eternidades, e tantas surpresas. Os teus braços rodeavam o meu corpo, tal como o tinham feito durante aqueles anos que passámos juntas, todos os fins de tarde em que tinhas de te ir embora. Um abraço que reflectia a saudade que ambas começávamos a sentir ainda antes de passares aquela porta que te levava para uma outra realidade, um outro mundo em que não nos tínhamos uma à outra, mesmo sabendo que na manhã seguinte os nossos olhos se iam cruzar de novo. Um abraço que dizia ao mesmo tempo “quero ficar” e “quero levar-te comigo”. Hoje, este abraço diz “tive saudades tuas”…

 A minha cabeça repousava do teu ombro, encostada ao teu pescoço, e senti o teu cheiro. Já não me lembrava de como era suave e agradável, mas assim que o senti vieram-me à memória as noites em que adormeci agarrada à tua camisola para te sentir mais perto de mim.

Não sei quanto tempo ficámos assim, só sei que não queria que me largasses mas ao mesmo tempo tinha uma vontade enorme de olhar para ti, de poder olhar nos teus olhos grandes e castanhos-esverdeados, e mostrar-te nos meus aquilo que o meu coração sentia e a boca teimava em não dizer. É bem verdade quando dizem que os olhos são o espelho da alma. Pelo menos os meus são. Não só os olhos, mas todos aqueles pequenos gestos que tinha contigo espelhavam aquilo que de eu nunca me apercebi, mas o coração não deixava de mostrar. Os olhares trocados, as festinhas, as visitas nos intervalos, as músicas partilhadas, a troar dos tambores no meu peito todas as manhãs quando passavas por mim, o sorriso que se abria no meu rosto assim que te via aparecer, aqueles beijos de bom dia e até amanhã e quando a espontaneidade assim o dizia, as frases no mata-borrão, as prendinhas que me davas feitas com todo o amor e carinho, o porta-chaves que andava sempre comigo e ainda anda. Tudo aquilo que me passou ao lado e tudo aquilo que guardo nas minhas memórias. Pequenos gestos, o silêncio de um olhar, palavras que não se dizem mas se sentem.

Acordei. Ou o despertador acordou-me. Mas a minha cabeça continua a sonhar acordada, a pensar em ti. Não é a primeira vez, nem será a última. Mas agora voltou às perguntas, ao porquê. Foi apenas um sonho, mas o sonho não me deu respostas, só mais perguntas. Consciente ou inconscientemente apenas me mostrou aquilo que os meus olhos, cegos, não quiseram ver até há uns anos atrás e aquilo que eu desejava poder fazer agora. Mas o sonho e a realidade são duas coisas completamente distintas mas interligadas. São dois mundos paralelos, aquele em que tu estás e aquele que a tua mente cria com base na realidade que já viveste e ainda queres viver. Pode o sonho passar também para a realidade? Será tão fácil viver o sonho, como é sonhar? No sonho aquele mundo é teu e fazes dele o que tu queres, na realidade tu és apenas um de muitos sonhadores a querer fazer do mundo o seu sonho.

VoDkA


também poderás gostar...