Como se explica o inexplicável?

Como se explica o inexplicável? Como se explica o que nem por palavras se consegue explicar?

De manhã:

Saio de casa atarefado como sempre, nem olhos tenho para aquilo que sinto, apenas para aquilo que faço. Confesso que já não sei o que é amar de verdade. E é esta incerteza. Esta incerteza de não saber o amanhã que me afasta deste mundo. Apenas quero concentrar-me no meu mundo, só.

Como se explica o inexplicável? Como se explica o que nem por palavras se consegue explicar?

De tarde:

Ando por aqui como se alguém comandasse em mim. Já não sei as emoções que tenho ou aquelas que quero sentir. Limito-me a fazer a minha vida e pronto. Sempre a focar-me naquilo que vejo. Correção, naquilo que necessito de ver.
E tudo sempre tão rápido, tão intenso, a falta do tempo! O tempo! Corremos que nem loucos de um lado para o outro, pensamos que damos conta de tudo quando a realidade é que não damos conta de absolutamente nada. Nem de nós próprios.

E é quando subitamente... sinto um choque, um corpo a cair junto de mim. Olhei para baixo e vi que eras tu. Quer dizer, vi que era alguém. Ajudei a levantar e pedi as mais sinceras desculpas. Desculpas de alguém que não está atento ao mundo que o rodeia.
Reparei que ficaste sem reação, como se os teus olhos falassem por ti. Encostei a minha mão ao teu ombro e perguntei se estavas bem. E foi essa pergunta, essa mera pergunta que me fez questionar se alguma vez nos tínhamos conhecido. Não sabia o que dizer, mas sabia o que sentia. E que sentimento era este? Alguém me explica? Discretamente reparei que tinhas pressa e foste embora sem responder ao que te tinha perguntado.

E lá foste tu... e cá fiquei eu.

O amor não foi feito para separar dois corpos desta forma.
Qual amor perguntam vocês.

Eis o que vos respondo: Como se explica o inexplicável? Como se explica o que nem por palavras se consegue explicar?

De noite:

Apenas os gemidos se ouviam pelo céu. Eu não acredito em Deus. Mas acredito nela. A partir daquele instante, ela é quem eu mais acredito. Sei que posso encontrar no seu corpo a prece perfeita, no orgasmo o perdão absoluto. Ficámos os dois por baixo dos lençóis. Cada toque como se escrevêssemos o para sempre. Eu dizia: trocava tudo o que tenho para viver assim.

E tu respondias sempre da melhor forma como se o céu adivinhasse o que viria a seguir.

Como se explica o inexplicável? Como se explica o que nem por palavras se consegue explicar?

Assim... por amor.

Patrícia Fonseca

também poderás gostar...