Tenho vontade de te apagar da minha vida

Cheguei em casa com o misto de frustração, ódio e vontade de te dar um murro na cara, mas o meu coração te protegeu. Atirei as minhas coisas no chão e deixei-me cair no sofá, sem conseguir acreditar que tu tinhas sido capaz de me desiludir tanto. Parece que é uma regra: são as pessoas em quem mais se deposita confiança que mais nos decepcionam.

Tive vontade de te desconhecer.

Tive aquele pensamento maluco passando pela minha cabeça e ignorando todas as coisas boas que tu já tinhas feito por mim. Eu queria conseguir apagar todas as memórias relacionadas à tua pessoa, como naquele filme, sabes? Ou então lembrar de todos os momentos importantes que não estiveste presente...

Sabes desiludiste-me tanto que até custa acreditar naquilo que a cada dia te estás a tornar, só gostava que visses o esforço que fiz durante tanto tempo apenas para notares a minha presença, como foste capaz, hein?

Posso estar de cabeça quente e estar a dizer  alguma asneira, mas aprendi que essa hora da raiva serve para conhecermos um lado diferente de nós. Um lado impulsivo e impetuoso capaz de fazer aquilo que não tínhamos coragem e reprimíamos. Capaz de fazer algumas merdas, claro, mas que num caso desses me fez te escrever, pois conversar contigo não funcionou, porque apenas não queres ver a verdade à frente dos teus olhos, não te julgo mas e o respeito onde foi parar? O respeito por mim ou até mesmo por ti mesma? O respeito pela tua vida? Está com ele?

Se for esse o caso eu própria lhe vou  pedir  para o te entregar de volta por já está a ser demais... Só queria que compreendesses que não digo isto para teu mal!

Não penses que são ciumes porque não são, mas já não és aquela mulher que me orgulhava de ter conhecido mas mesmo assim agradeço-te porque me fizeste crescer, mesmo que só me visses uns minutos ao final do dia.

Não me fales mais.

Vai doer, certamente, mas eu prefiro expulsar te de vez do que continuar a ser  aquele tipo de pessoa que se preocupa e recebe apenas ingratidão de volta. Com o coração amarrotado depois de tu tanto mudares, eu precisava de uma lavagem na alma, mas quem dera que fosse cerebral – para te apagar; te desconhecer. Não posso.

Se é inevitável, então, vou ter que levar essa decepção comigo pelo resto dos meus dias, corto o mal pela raiz e sigo sozinha. Podes ficar com suas historias por aí. Eu vou me refazer! E não adianta vires mais tarde aqui desperdiçar o teu português pedindo desculpas. Lamento ter que ser assim , mas ver-te com essa vida é demais para mim... Sempre foste o meu orgulho, sempre te protegi, sempre me preocupei, sempre cuidei de ti, mas cheguei ao limite. Na esperança vagueio ao pensar que um dia entendas o sorteio de sentimentos aqui. Felicidades!

Vanessa tusto

também poderás gostar...