Ainda me dói falar nisto

Querido diário,

Ainda dói falar nisto. Como é normal, mas a pedido de uma amiga minha para falar sobre isto, não iria recusar. Porque, tanto a quero ajudar, como quero me soltar de todas as coisas que ainda faltam dizer.

A minha primeira desilusão de amor, foi este ano, sim… este ano. Digamos que, 2017 surpreendeu-me bastante pela negativa, eu tinha tantos planos para ti, querido 2017, mas desde já te agradeço por me teres tornado fraca e forte ao mesmo tempo e, pôr-me teres decepcionado, por ter perdido aquela pessoa que eu tinha já planos para a vida.

Já tive outras desilusões amorosas, mas nunca, em momento algum, tão forte como esta, uma desilusão que me fez perder completamente a cabeça, queria desaparecer, não conseguia lidar com todos os pensamentos suicidas que teria naqueles momentos de tortura ou ataques de pânico, noites e dias chegava a casa e gritava, gritava com o intuito de sair tudo, mas porra! Nunca saía, só gastava a minha voz e nunca a minha alma e a minha mente ficavam realmente bem, vazias de tudo o que era memórias passadas com ele…

Não vou negar, passei dias sem conseguir comer o que quer que tivesse sido, emagreci 5kg em 3 dias que estive sem comer, não dormia, mal saía do quarto e não conseguia sorrir. Ilusões e paixões, houveram com fartura, mas, amar? Amei verdadeiramente durante 8 meses e mesmo assim continuo a achar que não foi realmente amor, porque, se calhar só foi o meu amor, porque se tivesse havido amor reciproco, não teria havido desistência, porque, se deve lutar, sempre. Porém, passe o tempo que passar, se tiver que resultar, resulta. Ainda dói. Lá no fundo dói, mas não como antes. No entanto passaram 4 meses depois de tudo e muita coisa se passou, muita coisa mesmo.

Acho que, apesar de ele me ter surpreendido depois de tudo o que se passou entre nós, nunca, mas mesmo nunca, ele será substituído no meu coração por outro alguém, acho que, ele terá sempre o mínimo carinho aqui dentro, por mais raiva que lhe tome ou ódio momentâneo.

Não resta nada a não ser a nostalgia de alguém que eu considerava ser o amor da minha vida, simplesmente, somos duas pessoas desconhecidas que se conheceram de uma maneira tão especial que, no entanto, tudo acabou literalmente na merda.

Nos momentos de tortura, passaram-se mil e uma coisas pela cabeça, desde a outra pessoa na tua vida, até àquilo que não fiz e poderia ter feito. E senti-me um lixo, um lixo horrendo, uma merda, sentia-me a pior pessoa do mundo por não ter sido suficientemente suficiente para ele, visto que, foi ele que me ensinou a gostar de mim, foi ele que me tirou da merda quando estava mal, que me fez crescer com as palavras que me dizia, apesar da minha casmurrice.

Passado pouco tempo de tudo ter acabado, andei à toa, dava por mim a procurá-lo em outros corpos, a procurar o beijo dele noutras pessoas, mas não me orgulho disso. Quando toda a gente comete erros, eu também cometi. Mas andava perdida, não é que hoje em dia não ande, mas já consigo ter noção de tudo à minha volta. Enquanto naquela altura não tinha, porque tinha desaparecido o meu pilar, o meu porto de abrigo nos piores e melhores momentos durante meses e simplesmente ele não estava mais ali, e isso magoava-me cada vez que acordava e não tinha nenhuma mensagem de “bom dia” ou um simples “volta para mim, tenho saudades tuas” (porque, no final de contas, era aquilo que eu mais queria receber, era o que mais esperava que teria no telemóvel) ou quando me ia deitar e não tinha aquele “amo-te” que tinha todas as noites.

Pode ser absurdo o que estou para aqui a dizer, acho que, só quem amou verdadeiramente uma pessoa saberá e entenderá qual o significado de cada palavrinha que escrevo nesta folha.

Querido diário,
Tu, meu portador de letras, sentimentos e emoções,
Dá uma mensagem a todas as almas que passam por uma desilusão como esta.

Hoje em dia,

Não ultrapassei tudo, consegui recuperar o meu peso e ganhar mais algum, porém ainda custa relembrar memórias de uma pessoa que talvez hoje penso que não conheço…

Tive muitas quedas, muitos ataques de pânico e muitas torturas. Tu, sim tu, que estás a ler isto, também terás. Não vai ser fácil dar contorno a isto.

Vais ter dias que te apetece desaparecer e estar na tua, outros em que recordarás tudo com um sorriso de alma, e outros em que nem te lembrarás que a tua pessoa existe (até isto acontecer vai demorar) mas não desistas. Não desistas principalmente de ti, eu, reconheci o meu valor e tu reconhecerás o teu, é tudo uma questão de tempo até te aceitares minimamente.

Vais almejar voltar atrás e viver tudo novamente, voltares a ter aquele toque, aquele abraço, aquele beijo, aqueles momentos todos… Mas nada, mesmo NADA, voltará atrás. Terás de lidar com o facto de teres de seguir em frente, mas lá no fundo ainda estares à espera dele, terás de aprender a lidar com isso.

Quanto a um “nós” tudo o tempo não curará, o tempo só atenua a dor e só restará saudade de tudo o que vocês dois viveram.

A vida é muito mais que amor, olha à tua volta, há tantas coisas bonitas para descobrires, não estragues a tua vida. Okay? Qualquer coisa eu estarei aqui para te apoiar. Confia em mim, eu estarei sempre aqui.

Kika Martins


também poderás gostar...

Hoje apeteces-me