Como amas a pessoa que gostas?

Como amas a pessoa que gostas?

Exatamente. Leste muitíssimo bem.

Como amas a pessoa que gostas?

O que fazes para a fazer sentir a mais desejada, amada, poderosa, sedenta, segura e... feliz?

O que fazes?

E se fazes como tanto afirmas. Será que fazes por completo?

Pois amar só às quartas não chega. Amar só quando nos apetece e nos dá jeito não chega. Não para mim, não para nenhuma mulher.

Há que ter muito temperamento (e falta dele), às quartas e o resto da semana inteira.

Há que saber como cuidar. Mas cuidar com as mãos, com os dedos, com um beijo... Faz a diferença.

Há que saber tocar, percorrer os espinhos do caminho, mesmo sabendo que serão várias as vezes que sairás marcado desta corrida.

Há que saber chamar, mas não chamar pelo nome. "Joana" todas somos. E se somos. Chama como sentes que deve ser. Inventa alcunhas, alcunhas que apenas vocês (e o vosso corpo), conhecem.

Aprende a querer sempre mais. Aprende a ultrapassar o limite dos limites, pois viver em segurança todos os dias cansa. (E se cansa).

Há que sentir os arrepios repentinos, sem propósito algum mas totalmente propositados.

Há que sentir o cheiro, o teu cheiro. Guardado e relembrado na manhã seguinte.

Pergunto-te novamente: Como amas a pessoa que gostas?

"Com amor". (Lamento mas não chega).

"Com muito amor?" (Falta algo). Acrescenta-lhe algo.

"Com amor, corpo, alma e ainda um bocadinho de mim a cada noite que passa". (Estás perto mas ainda não chegaste lá). Conta-me mais.

"Com amor, corpo, alma, tudo o que não consigo dar (mas mesmo assim dou), entrega, roupa (e falta dela, muita falta dela), distância (proibida), complexos, tabus, vergonhas, medos e preocupações (fora, completamente fora de questão)".

Parabéns.

Não acrescento uma única palavra. O resto falará por si.

Se estou preparada?

No fundo, bem no fundo todas estamos.

Falta é alguém para despertar este nome, este desejoso nome. (E não me refiro ao principal, claro).

Patrícia Fonseca 


também poderás gostar...

Hoje apeteces-me