Devaneios

Esperei um segundo.
E por ti, uns instantes mais.
Numa imagem, que se multiplica em tantas outras, momentos sagrados em que uma vida, que custa a crer ser realmente a nossa se desenrola diante de nós a olhos vistos.
São esperanças infinitas.
E amores recuperados.
É saudade que nunca nasceu e triste melodia que nunca foi ouvida.
É o sorriso que me desenhaste e o ardor que te fiz sentir.
Esperei por ti instantes mais, enquanto me dizes que esperaste por mim toda a tua vida.
Achas bonito tentar ganhar-me neste jogo de tolos?
Só nós nos atrevemos a apaixonar.
Numa Galáxia em que os mais comuns oferecem o tempo de uma vida inteira, eu grito-te que te quero até ao fim e o inicio de uma outra alma.
Arriscado é o compromisso que nossas mãos uniram, meu rapazinho de rua.
Teus beijos tiram-me do sério mas alimentam-me o espírito, até que o dia se torne finito e a noite traz a sua ameaça.
Que teria sido de mim se não te tivesse colocado a vista em cima?
Que seria de mim, se todo este amor ficasse bem acumuladinho aqui dentro?
Conforme te toco, conforme um inteiro futuro se desenrola nas pontas dos nossos dedos, qual liberdade de quem tudo tem ao seu alcance.
Não me ligues...
É o amor louco que tenho por ti.
São vontades...
São devaneios mais do que vontades.
Ângela Sofia

também poderás gostar...