Tu eras o amor da minha vida

Percebi da pior maneira, mas finalmente entendi... Tu estavas destinado a ser o amor da minha vida, mas não estavas destinado a ficar comigo para sempre.
E custou-me bastante até conseguir compreender isso. Pois para mim não fazia sentido o não ficarmos com a nossa alma gémea, o "E viveram felizes até que o mundo os separou".
Os contos de fadas sempre nos ensinaram isso mesmo, que ficaríamos para sempre com o tal, mas foi erro meu pensar que num mundo tão imperfeito como este, o nosso amor seria perfeitamente inquebrável.
Foi igualmente erro meu ter criado castelos de cartas nas tuas palavras, à espera que eles ficassem sempre de pé, pois o vento acabou por levar com ele tanto as promessas como as tuas cartas.
Talvez tenha sido falha minha nunca ter falhado com quem tanto comigo falhou.
Talvez tenha sido lapso meu ter amado tanto quem tão pouco merecia.
Fiz de nós sobrenaturais, fiz de nós criaturas de outro universo, pois sabia que o nosso amor era demasiado bom para este mundo.
Eu queria de ti mais do que aquilo que tu me podias dar, eu queria de ti um para sempre, mas tu apenas me soubeste dar frações de tempo, tempo esse que já é tão limitado por si só mas que tu teimaste em ainda mais o reduzir.
E não foi apenas isso que tu reduziste...reduziste o meu sorriso, reduziste o meu calor, reduziste tudo aquilo que eu tinha de bom.
E foi assim que eu entendi o destino, o porquê de não ficarmos juntos para sempre.
Tu eras o amor da minha vida. Mas não eras o amor que eu merecia na minha vida.

Tu eras o amor da minha vida, mas eu mereço melhor.

Catarina Morais

também poderás gostar...