Se for para acontecer, acontecerá.

Morres de amor, como também é dele que renasces. Choras como sorris, dominas como também és dominado. Nem sempre darás o melhor de ti, sentimentos de egos esses que te atormentarão. Provavelmente hoje 60 segundos seriam o suficiente para lhe falar, mesmo que a sua resposta fosse o silêncio, escutar ri-lo e fazias o possível para o entender. Abraçá-lo-ias e nele permanecerias, até que o seu rosto fizesse a curva mais linda. Verdade é que neste momento parece que o chão se abre de baixo dos teus pés, mas acredita que há "para sempres" que não começam à primeira tentativa. Há desistências que salvam, e ele desistiu. E se for para acontecer, acontecerá, se for para voltar, voltará, nada impedirá. Às vezes, a lição é perdoares a ti mesmo.

Vera Oliveira

também poderás gostar...

Imagem

Amo-te, mas não dá.