Sinto-te cada vez mais longe

Não faz sentido.
Não faz, e sei que vai continuar a não fazer.
No que quer que seja, quanto mais perto te vejo, mais longe te sinto.
É estranho, mas também agradeço, por saber que não perdes tempo.

Sinto-me cada vez mais "livre", e ao mesmo tempo, cada vez mais desnorteado.
Faço-me de forte, e tento passar isto como já soubesse fazer aos anos.
Como se fosse uma cena completamente banal, que lidasse com o mesmo todos os dias.
Nem por isso. Penso, repenso, posso até chorar, mas encaro a realidade como sempre.
A realidade é mesmo esta, de pensar em todos os passos, de todas as maneiras que possa falar ou até mesmo encarar-me contigo.

Afasto-me, fecho o meu livro de emoções e não digo nada.
Errado é fazer o que faço, porque sei a quem dizer, e quem me guarde.
Não sou recordado nem adorado tão pouco, pelo contrário, há quem goste de me ver assim.

Até eu gosto de me ver assim, porque me posso ler, e ao mesmo tempo, ler-te a ti, saber o que eu digo quando em ti penso.
Não me lembro de lidar muito bem contigo, mas sei escrever sobre isso.
Estás feliz? Espero que sim, porque eu não.
Eu não estou feliz, e que por muito que demore a encontrar essa felicidade, pode ser que se mantenha durante muito tempo.
Quem sabe, pode ser que venha a ser mais feliz do que aquilo que já fui;
Contigo, sozinho.

Que a tua felicidade seja grande, que te afundes em amores e paixões, que te possam dar tudo aquilo que eu não fui capaz.
Quero que saibas que é isso mesmo que fazem das pessoas únicas, os erros.

Só não me sintas longe, prometeste que tinha um lugar especial, por muito pequeno que ele fosse.
Tal como eu te prometi.

Ainda que não acredites, tu viverás para sempre em mim, tal como eu em ti, mesmo que eu já não seja o teu futuro.
Que não me lembres como um amor falhado.
Apenas que me lembres e que penses que sou o mesmo, desde o primeiro dia.

Marco Ferreira

também poderás gostar...