Fotografei a nossa despedida

Não quero que sintas remorsos por algo eterno ser tão torturante.
O caminho virou-nos costas, quando nos víamos um ao outro como partes essenciais de um trajeto, que mesmo sem sentido, sabia como era sentir.
O teu tacto foi ficando apurado e o cheiro do meu perfume é já hoje inconfundível, com o dos outros tantos que se vão deitando na tua cama e desaparecem com os passeios de madrugada .
Sinto que hoje ainda não sentes como eu.
Ver-te partir de olhos fechados sem certeza no caminho a seguir e nas consequências que terias de suportar sozinha, sem falar nas saudades claro. Apesar de tudo, gosto de acreditar que por vezes sentes saudades, nem que não seja de tudo o que já escrevi .
Finge que me amas-te quando te falarem de mim .
Eu faço o mesmo prometo!
Rafael França

também poderás gostar...

Imagem

É, perdeste-a.