Um conselho para nós jovens

Durante o percurso da vida, cometemos muitos erros, alguns cruciais até. Temos duas decisões perante os erros:
A primeira é conformar-se, não aprender e continuar a repeti-los. A segunda, é analisar as razões pelas quais os cometemos, arrependermos, e tentar traçar um novo caminho, em que focamos no auto-desenvolvimento.
Cheguei ao ponto do qual quero abordar: a fase em que melhoramo-nos. Uma fase difícil e que exige muito de ti, paciência, auto-confiança e determinação. Porquê? Porque as pessoas estão habituadas ao que antes eras, aos teus comportamentos e atitudes deploráveis, frágil, influenciável, enfim.. um pacote vazio. E mesmo que não to digam, eles querem que continues daquela forma, têm medo que levantes a cabeça e grites: "Quero ser melhor! Eu sou melhor do que isto!". Vão tentar convencer-te de que só estás a fingir, não és assim, ou mostrar-te de alguma forma de que não és capaz de fazer ou ser mais do que sempre foste. Aí está a parte em que farás a auto-confiança e a determinação as tuas armas, e não, não com palavras, não precisas de perder tempo em convencer alguém de que és capaz, porque tu o sabes e Deus o sabe, mas eles não acreditarão, portanto, todas as tuas palavras serão motivo de regozijo nas tuas costas. Entretanto, podes simplesmente calar-te e trabalhar em ti e para ti, no silêncio e com a porta fechada sem saberem. Deixa-os a falar e a acreditar de que não és nada, mas toma atitudes que um dia os deixará estupefactos e arrependidos por terem-te inferiorizado no pensamento e no seu círculo imundo.
Permite que o resultado dos teus esforços expliquem que realmente mudaste, que realmente podes mais, que a fragilidade virou a força e a influência, liderança!

Neisa Medina

também poderás gostar...