Hoje sei que não te quero mais

Olha para ti agora, e olha para mim, já nenhum é o que era antes, tu tornaste-te aquela pessoa que eu quero que vá embora. Não que eu tenha algum sentido de posse sobre ti, porque não tenho! Mas tenho sobre mim e sei que não te quero mais, não quero mais esta incerteza que tu me transmites, este sim/não como tu fazes com aquelas camisolas que um dia até achas que precisas e no outro já não, e por isso deixas num canto.
Talvez seja um cliché mas tu secalhar só me vais dar valor quando me perderes, mas não vou ficar
à espera que esse dia chegue.
Não te odeio, nem te vou odiar, aliás acho difícil odiar quem um dia me fez tão feliz, mas tenho de parar de pensar no passado como se um dia virasse futuro porque eu sei que embora tu não me agarres nem me largues, não pensas num futuro comigo. O que no passado te preenchia naquelas noites vazias virou apenas uma lembrança, apenas uma recordação boa do que em tempos foi o meu amor por ti.
Não sei se acertei ou se errei em pensar que eu poderia conquistar-te, mas sei que dei o melhor de mim e não vi o melhor de ti, ou até vi mas esse não chegou para eu continuar a lutar por ti, nem pelo nosso amor - digo "nosso" porque quero acreditar que existia, mas agora já não sei.
Não vou negar que sinto saudades tuas, saudades daqueles serões a meio da tarde ou até mesmo daquelas conversas que me preenchiam a alma, mas esta saudade está a invadir-me o coração, e tu não te decides, não dás a mínima importância se vou ou se fico, por isso eu escolhi ir.
E quando me perguntarem qual o meu ideal de um homem eu irei sempre lembrar-te, não por seres o tipo de homem que gostaria de ter mas sim por seres aquele que eu nunca mais quero ter.

Andreia Silva

também poderás gostar...